quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Como se fosse a primeira vez

Como se fosse a primeira vez


Segura-me em teus braços, com carinho,
beija meus lábios bem devagarinho
e ama-me com ternura, meu amor.
E, depois de saciados os desejos,
diga que me ama e que me quer,
e sorrindo diga, que eu sou tua mulher.
Os sonhos são os mesmos, nunca mudam,
sonhos de amor, de homem ou mulher.
O ser humano, quer mesmo é ser amado,
não importa o futuro nem passado,
o amor não é um verbo à conjugar,
é suave melodia à tocar,
o livre coração, disposto a amar.
E eu, romântica incorrigível que sou,
quero amar assim: intensamente,
e poder carregar em minha mente
a doce lembrança do tempo
em que fui amada com ternura,
como se fosse a primeira vez.

Simone Borba Pinheiro

Um comentário:

Simone disse...

Muito obrigada pela publicação de meus poemas Como se Fosse a Primeira Vez e Reaprendendo a Amar.
Deus o abençõe abundantemente.
Beijos com carinho e amizade
Simone