domingo, 9 de agosto de 2009

Minha Tereza

Minha Tereza


Vejo-te lenvantar,
Falta muito para o Sol nascer,
Prepara-te, para mais um dia.

Vestes, uma calça sobre a outra,
Uma camisa, sobre a outra,
Prepara o rosto..., suave maquiagem,
Coloca um grande lenço, cobrindo a cabeça,
E parte do rosto.


Sobre a cabeça grande chapeu de palha,
É mais um dia, com a peneira as mãos,
Abanando café.

Café que para esperar-te,
Deu linda e grande florada,
Produzindo lindos frutos,
Somente para ver-te de peneira as mãos,
Sob o Sol escaldante, dos cafezais Paulista.

Aparecido Donizetti Hernandez
09/agosto/2009 – 23h10

video

2 comentários:

Lilian Andrade disse...

A inspiração do autor não vem de forma mecanizada, mas sim de maneira espontânea. Você escreve com o coração e isso mostra a sensibilidade poética que possui. “Minha Tereza”, deixa em evidência o teu reconhecimento, a tua gratidão e, sobretudo, o teu amor à alguém que foi e é muito importante pra você. E a forma mais linda de homenagear alguém simples; porém forte o bastante para não temer a vida, foi essa que você fez! As tuas palavras são a obra-prima da tua poesia.

Me emocionei com a poesia... linda!!

Lilian Andrade disse...

A tua inspiração não vem de forma mecanizada, mas sim de maneira espontânea. Você escreve com o coração e isso mostra a sensibilidade poética que possui. “Minha Tereza”, deixa em evidência o teu reconhecimento, a tua gratidão e, sobretudo, o teu amor à alguém que foi e é muito importante pra você. E a forma mais linda de homenagear alguém simples; porém forte o bastante para não temer a vida, foi essa que você fez! As tuas palavras são a obra-prima da tua poesia.

Me emocionei com a poesia... linda!!